19 de fev de 2018

sacos vazios


se eu quiser me apoiar no passado
dou de cara com o nada e desabo no chão
se inventar de contar com o futuro
o destino é inseguro e eu me deixo na mão

o que me põe de pé
são as pernas de agora
nunca os sacos vazios
que ora vêm, ora vão

Nenhum comentário:

Postar um comentário