29 de nov de 2010

sem cera


é uma pena
que a tua sinceridade
tenha achado um lugar
junto à impiedade

fez de mim
carrasco de meu castigo,
os farelos do pão
que eu amasso e mastigo

não me queime mais com duras verdades
me poupe de seus pingos de vela.
devolva, sem cera e apagadas
as frias desculpas sinceras