18 de jan de 2018

porte


liberto
minha morte é não ter asas
ou não haver caminhos
que me queiram

cativo
--vislumbro céus--
minha esperança
eu trago em asas

17 de jan de 2018

16 de jan de 2018

atmosfera


o sol se joga em feixes fortes
ventos refrescam do calor picante
celestes cores fluem nuas desnubladas
e até ouvir boas marés chamando ouve-se

tudo é bem vindo
às vezes algo falha
mas só vai faltar verão
se primeiro faltar clima

13 de jan de 2018

espaço


de certa forma
a saudade era de si
e daquele exato lugar
onde podia soltar-se e
--em total soltura--
ser aquilo que é

a saudade era de um lugar
e a saudade era de alguém

quando passa


diz ela
que passa distraída
quando passa

verdade seja dita
distraído ninguém fica
quando ela é quem passa

quer dizer
distraídos ficam todos
todos menos ela

ela sabe muito bem
onde é que pisa
quando passa

12 de jan de 2018

exilada


diante da pedra do esquecimento
depositei as últimas lembranças de mim:
raras bondades e numerosos crimes infames

e como eu me lembro disso?
--bastante oportuno querer saber--

a pedra valia muito
para eu restá-la
esquecida