29 de jun de 2017

haicai viii


quem conhece as causas
de haver-nos cantos de invernos
feitos só de pausas?

ex-gotas


na brincadeira de andar pra frente
descolando os penduricalhos meus
até, de mim, só eu mesmo restar
lanço verdades pelo caminho

quase nada floresce
a maioria vira nuvem
outras teimam e voltam pra mim

e adiam a ideia de eu me esgotar
e se acumulam ao meu redor
como redemoinho de mosquito depois da chuva,
como ex-gotas de mim

26 de jun de 2017

bagaço meu


vem de dentro meu soluço
das funduras de meu poço
onde habita num cortiço
a porção do meu avesso:
eu em suma e meu palhaço

zelação


suspirava o homem-só
pelo amor daquela flor;
mendigava às alegres retinas
pelo olhar da mulher-girassol

descabida insensatez,
fez da flor seu capataz
e mentia não mais viver só
e nos sonhos fingiu-se homem-sol

14 de jun de 2017

11 de jun de 2017

haicai vii


meu mar se conecta
ao rio que em flores sorriu
nascentes com néctar