17 de jan de 2006

pobre mocidade

de onde vem a inspiração dos antigos,
dos sambistas, trovadores do amor
que mastiga de tristeza os abrigos
moribundos, maculados de dor?

vem, quem sabe, do intragável sabor
de não ter ou perder os descompassos
que liberta, do cortante rubor,
o desejo de entregar-se aos abraços.

ou, talvez, do maior desembaraço
de viver tal como viveu Orfeu.
mas onde anda a inspiração, neste espaço
que, baldado, tudo já feneceu?

foi-se embora de onde o samba nasceu,
ou calou-se nos porões da saudade?
não! expulsa por essa mocidade,
despejada do glorioso apogeu...

12 de jan de 2006

Prefácio

Este blog tem como intenção principal elencar os pensamentos, idéias, versos, contos, entre outras coisas escritas, de um cidadão comum que trilha a vida e, nos seus intervalos, cantarola e reflete a própria vida que já trilhou. Aqui, então, interlúdios da obra do palco da minha vida.

7 de jan de 2006

interlúdios meus

entre uns e outros passos
minha vida pende num só pé
trilhando pontos esparsos
sem contar com a marcha ré

qual equilibrista
em cujos interlúdios vai
firme como maquinista
certo que a certeza trai.

são nos intervalos
que parte da mente sossega
e a outra, como em cavalos,
à cantoria se entrega.

interlúdio

[Adapt. do ingl. interlude - lat. med. interludium.]

S. m.

1. Mús. Trecho de música instrumental que se intercala entre as várias partes de uma longa composição, do tipo ópera, missa, cantata, etc.; intermédio.

2. Teatr. V. entreato (2).