9 de mar de 2008

faca e foice


eu quero ter a faca
que corta a língua dos que julgam
furar os superegos
y alto decir: ¡vida no es juego!

rasgar a animalia
dos que -- moldados pra ser gente --
consentem co'a agonia
e vão nas vias das serpentes

e eu sonho usar u'a foice
tão amolada quanto as línguas
e entrar na mesma lista
dos que, o rumor, deceparei

enfim, nós (mutilados)
regressaremos ao começo:
no reino do silêncio;
porto em que o caos fez-se endereço

Um comentário:

Max da Fonseca disse...

"Mesmo que me tire de cena
E incendeia todas as platéias
Que me amarre as mãos
E de forma atroz me roube a voz
Será tarde demais, já serei idéia."
(Tonho França)

Multilados - nós
Exorcisaremos a dor, esqueceremos os rancores e novamente julgaremos... verás.

Os dedos: lembre de cortá-los pra evitar ser apontado.

Um abraço poeta navalha...