26 de jul de 2008

febre norturna


cenários pintados no vento
bares, boêmios, paixões
sonhos que servem de alento
cantiga em violões

os medos convertem-se em risos
frouxos, que explodem pro céu
pés desprendidos dos pisos
um são e um pinel

desertas prosseguem as ruas
densos, os rios da ilusão
brasas da tez seminua
ardentes ou não

não seja uma esquizofrenia
pinga mineira ou a morte
vista em u'a breve alegria
que chegue e se aporte

Um comentário:

' rafaella. disse...

Nossa, adorei seu blog, me identifiquei muito mesmo! vc tem msn? depois passa no meu pra gente conversar mais... adorei mesmo! Beijos...