28 de out de 2008

encontro calado


tal como nas noites escuras
de um céu que parece baldio
e esconde o maior desvario
(a lua e o sol consentindo
rendendo-se sem composturas)

assim somos nós em meus sonhos:
o amante devoto e sua santa.
mas Sol logo acorda e levanta
trilhando de novo o caminho
voltando aos seus dias tristonhos

4 comentários:

  1. Lindos versos, o amor tecido em palavras de luz...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom meu caro amigo e poeta.
    Quero que saiba que te quero muito bem alé gostar do seu trbalho.

    Vim visitar o seu Bloog e gostei muito.
    Espero agora ter mais tempo para vir mais vezes e inclusive atualizar o meu.
    Grande Abraço.

    ResponderExcluir