13 de dez de 2007

cine sonho matinée



afundei minha cabeça nos teus versos
me escondi detrás dos teus sonhos sem cor
e sonhei contigo (um sonho em branco e preto)
em cenário desbotado -- filme noir

vigilante em tuas cortinas de miçangas
esmolei, sem muito esforço, o teu olhar:
as geleiras derreteram-se em torrentes
ao ouvir-te, no sentir-te, ao te ensaiar

quando, enfim, notei-me pronto pra alcançar-te
veio a luz do amanhecer e me alcançou
e, escondido, fui flagrado pelo dia
e, flagrado, dei-me ao dia em furta-cor

Um comentário:

Débora Cristina disse...

...por isso que todos os dias agradeço a Deus por você.