7 de dez de 2006

vida cafeína

o jornal denuncia mais um caso:
"aviões outra vez sofrem atraso"
e eu, de tão trôpego que ainda estava,
nem percebi que um dos dedos borrava
numa das folhas do policial.

vida cruel pra quem cedo madruga
e, dependendo da própria labuta,
tarde, com sorte, consegue escapar,
quando não preso, cativo dum bar.

vida amarga, quando nem os sonhos
trazem pra perto o afã de viver
com cafeína e sem ter que dizer:

café escasso,
acabou-se o que era amargo...

Nenhum comentário: