5 de fev de 2007

mundo fervente



a valsa rasgante de uma sanfona
cobrou de meus pés mais chão pra pisar,
lembrou que os meus passos sempre darão
espaço pra que a alma possa vagar...

vacância embalada em redes trançadas
(balanço do tempo em leves porções),
onde eu me sujeito a ser predicado
daquilo que é simples, sem pretensões.

a valsa rasgante de uma sanfona
rasgou-se do sonho que me embalou
e eu logo acordei num mundo fervente
com passos regrados tal qual robô...

Nenhum comentário: